Idioma
Cliques
102
pt.news

Funcionário importante da Congregação para a Doutrina da Fé "tentou" beijar mulher consagrada durante a confissão

O sacerdote austríaco Hermann Geissler, antigo funcionário da Congregação para a Doutrina da Fé, professou seu amor, durante uma confissão em 2009, pela consagrada virgem Doris Wagner e "tentou" beijá-la, mas Wagner conseguiu escapar.

Antigamente, os sacerdotes eram proibidos de ouvir confissões de mulheres fora do confessionário.

Uma vingativa Wagner vem divulgando o caso há anos, revelando de recente, indiretamente, a identidade de Geissler. Na época, ambos, Geissler e Wagner eram membros da comunidade neoconservadora Familia Spiritualis Opus FSO, conhecida como "Das Werk". Wagner deixou o grupo em 2010

Geissler tem sido capo ufficio da seção doutrinária da Congregação desde 2009.

De acordo com a Lei Canônica §1387, um sacerdote que, no ato da confissão, por ocasião de confissão ou pretexto de confissão, solicita o penitente para um pecado contra o sexto mandamento do Decálogo, deve ser punido, conforme a gravidade do delito, com suspensão, proibições, privações e, nos casos mais graves, demissão do estado clerical.

Em 2014, Wagner relatou a suposta má conduta da Congregação de Geissler, recebendo como resposta que Geissler havia admitido o incidente, havia pedido perdão e havia sido "admoestado".

Enquanto isso, o porta-voz do Vaticano Alessandro Gisotti disse ao NcrOnline.org (21 de janeiro) que Geissler está sendo investigado pela Congregação, a qual se reserva o direito de tomar "iniciativas apropriadas".

Agora que o caso é público, Geissler logo descobrirá que a "Igreja da misericórdia" não perdoará seus erros.

Fotografia: Hermann Geissler, © Raphael, kathpedia.com, CC BY-NC-SA, #newsJnhwrlklho
pt.news mencionou esta publicação em Sob ataque, funcionário da Congregação para a Doutrina da Fé se demite.