Idioma
Cliques
155
pt.news

Antecedentes da declaração de Viganò

O jornalista italiano Aldo Maria Valli foi envolvido na publicação da declaração bombástica do ex-núncio dos EUA, Carlo Maria Viganò, como revela o próprio Valli em seu site aldomariavalli.it.

Em sua declaração, Viganò afirma que Papa Francisco e seus amiguinhos liberais estavam diretamente envolvidos em acalmar os abusos homossexuais do cardeal McCarrick.

Valli relata que Viganò o contatou há algum tempo para uma reunião que não podia ocorrer perto do Vaticano e não devia envolver telefonemas. Viagnò visitou Valli em seu apartamento para examiná-lo. Depois de um mês, Viganò retornou e pediu que Valli publicasse a sua declaração.

Viganò disse a Valli que queria revelar tudo "porque as rachaduras de que Paulo VI falou, através das quais ele disse que a fumaça de Satanás se infiltraria na casa de Deus, se tornaram abismos". Ele também disse que havia comprado uma passagem de avião para deixar a Itália e se esconder [temendo pela própria vida].

Outros estavam envolvidos no projeto. O jornalista Marco Tosatti ajudou como editor de texto. Viganò também compartilhou seu trabalho com o advogado americano Timothy Busch.

Um ex-conselheiro da embaixada do Vaticano em Washington, Jean-François Lantheaume, confirmou que Viganò estava dizendo a verdade.

Fotografia: Carlo Maria Viganò, #newsSdzypgpycn
Escreva um comentário
pt.news mencionou esta publicação em Vaticano pressiona editora para restringir livro crítico.