Clicks159
pt.news

Ideólogo-chefe da Amazônia de Francisco revela ódio pelo celibato sacerdotal

Uma "ecologia holística", uma "Igreja profética na Amazônia", liturgia intercultural", evangelização nas cidades" e "diálogo ecumênico e inter-religioso" serão os temas do Sínodo Pan-Amazônico, segundo afirma o bispo Erwin Kräutler, de 80 anos.

Nomeado por João Paulo II, Kräutler era, até 2015, bispo de Xingu - PA. Durante décadas se permitiu que ele propagasse suas posturas anticatólicas. Francisco fez dele líder ideólogo para o Sínodo Pan-Amazônico.

O austríaco Kräutler explicou à agência de notícias dos bispos alemães, KNA, que o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, "não tem ideia" da Amazônia.

Para Kräutler, o celibato é um "escândalo" contra a explícita vontade do Senhor", pois segundo ele é a razão pela qual 90% das paróquias na Amazônia têm apenas quatro "eucaristias" por ano. Entretanto, seitas protestantes estão se propagando na Amazônia, pois pessoas como Kräutler transformaram a Igreja em um partido político chato.

O fato de que Cristo chamou homens a serem padres é, para Kräutler, uma "sinistra discriminação" das mulheres.

No momento, Kräutler está em Roma, de modo a preparar o Sínodo Pan-Amazônico.

Fotografia: © Holger Motzkau, CC BY-SA, #newsHajxeayiie