46:48
A quebra e a desagregação do prazenteiro mundo burguês. Haverá solução para quem vive na contradição? Palavras de luz e de esperança "Se a vida é feita para o prazer, então a vida não deve ser feita …More
A quebra e a desagregação do prazenteiro mundo burguês. Haverá solução para quem vive na contradição? Palavras de luz e de esperança

"Se a vida é feita para o prazer, então a vida não deve ser feita para o esforço, porque o esforço é o contrário do prazer; a vida não deve ser feita para normas, porque a norma nos impõe de fazermos coisas que nós não quereríamos. A vida deve ser feita para o deixar estar, para o deixar correr, para o entregar-se completamente ao capricho e à imaginação"...
Em conferência realizada a 17 de julho de 1972, o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira aborda assuntos que não só continuam atuais, mas que ganham em candência à medida em que vamos avançando neste convulsionado ano de 2022.
Ouça e preste atenção (continua o palestrante): o caminho deve ser outro, é um caminho árduo, mas é um caminho de lógica a partir da verdade e do bem, a partir da fé e da moral. Siga esse caminho por mais árduo que seja, e uma luz te acompanhará ao longo dessa vida. Não será a luz do ouro, não será a luz dos olhos risonhos do bajulador, não será a luz dos fogos da propaganda, não será a luz fictícia ou factícia desse mundo terreno. Mas é uma luz interna, que os olhos não vêem, mas que a alma percebe. É uma paz, é uma segurança em que você poderá sentir que em torno de você todos os riscos se levantam, todos os perigos ameaçam desabar sobre você. Mas sem embargo, você continuando firme, você continuando no seu propósito, você, no seu último alento, sentirá que valeu a pena você viver, que você cumpriu o seu dever e que você poderá fazer suas as palavras de São Paulo: eu percorri o caminho que deveria percorrer, eu cheguei até o fim do meu caminho, eu combati o bom combate, ó Deus, dai-me agora o prêmio de vossa glória.
Esse momento valerá, o momento da morte que todos temem, valerá por toda a tua vida, você morrerá podendo dizer: benditas as estrelas que me viram pequenino, bendito o momento em que minha mãe disse, nasceu um homem; porque eu cumpri o meu dever. Eu compareço diante de Deus, talvez sangrando na alma por tudo quanto eu sofri, pelas ingratidões, pelo abandono, pela negação, pela incompreensão, pela perseguição, mas ao menos, ó meu Deus! eu nunca disse “não”, eu sempre disse “sim” e eu sinto que chegou o momento em que Ele olha para mim e me dirá: Meu filho, efetivamente sim; eu te tomo nos meus braços”!
O futuro é dos que seguem o caminho de Deus. Não é só o futuro, mas a eternidade. Que a eternidade seja vossa. Sede valentes, audaciosos, intransigentes, inquebrantáveis, Maria vos ajudará!
A transcrição do presente áudio encontra-se à disposição em A quebra e a desagregação do prazenteiro mundo burguês. Haverá solução para quem vive na contradição? Palavras de luz e de esperança (17-7-1972, com áudio e texto)