13:39
Seria lícito e hábil a Contra-Revolução fundar uma C.R. "terceira força"? Neste Santo do Dia (de 30-5-1969) Dr. Plinio Corrêa de Oliveira explica minuciosamente - "troca em miúdos", como se diz em …More
Seria lícito e hábil a Contra-Revolução fundar uma C.R. "terceira força"?

Neste Santo do Dia (de 30-5-1969) Dr. Plinio Corrêa de Oliveira explica minuciosamente - "troca em miúdos", como se diz em linguagem corrente no Brasil - diversas passagens de sua obra "Revolução e Contra-Revolução" (RCR), sem mencioná-las, pois seus ouvintes são muito familiarizados com elas. "Terceira força" - como ele explicou em diferentes seus escritos - é "uma posição intermediária entre a verdade e o erro, o bem e o mal".
Eis algumas passagens da RCR e que vem ao caso recordar em função do presente "Santo do Dia":
* Parte I, Capítulo IX: Também é filho da Revolução o “semi-contra-revolucionário” (bit.ly/3Ax0XZE );
* Idem, Capítulo VI — A marcha da Revolução (bit.ly/3c25tVC ), tópico n. 1., letras B) Os paroxismos da Revolução estão inteiros nos germes desta e C) A Revolução exaspera suas próprias causas; n. 3. A marcha de requinte em requinte e 4. As velocidades harmônicas da Revolução
* Parte II, Capítulo V — A tática da Contra-Revolução (bit.ly/3yvDoxt )
* Parte III, Cap. II, n. 3, letra A) A. As duas grandes metas da guerra psicológica revolucionária: a) iludir e adormecer paulatinamente os neutros; b) dividir a cada passo, desarticular, isolar, aterrorizar, difamar, perseguir e bloquear os adversários (bit.ly/3AD3m51 );