Clicks119
pt.news

Argumento errado: o cardeal "conservador" Napier defende a comunhão na mão

A pró-vida Abby Johnson, mãe de oito filhos, declarou durante uma conferência a LifeSiteNews.com em 21 de julho o truísmo de que a comunhão na mão levou à falta de crença na transubstanciação.

O cardeal de Durban (África do Sul), Wilfrid Napier, rejeitou sua avaliação no Twitter.com (29 de julho) como uma "linha de pensamento muito perigosa".

"Certamente, o fato de as mãos serem impostas em bênção deve dar às mãos um significado e importância especiais", disse ele. Isso é verdade, mas este não é o ponto em questão.

Ele continua: "O que pode ser irreverente, então, com o humilde gesto de colocar as mãos em forma de dar as boas-vindas ao 'dom da vida'?" A realidade sacrílega da Comunhão na mão há muito responde a essa pergunta.

Napier acredita que é a Fé que determina com que reverência o modo de recepção é realizado e não o contrário - embora o fato de que a Comunhão na mão não possa ser distribuída sem deixar cair partículas no chão, não pode ser removido "pela Fé".

Assim, no caso da Comunhão na mão, a lex credendi (Fé na Eucaristia) é contrariada pela lex orandi (Liturgia incluindo a Comunhão na mão).

Fotografia: Wilfrid Napier, © Mazur, CC BY-NC-SA, #newsQvzwobvxtd