pt.news
51

Bispo italiano: “Conspiração contra Bento XVI”

Acusações falsas de "encobrir abusos sexuais" são um "complô" contra Bento XVI que vem de dentro da Igreja, disse ao Corriere.it (23 de janeiro) o bispo aposentado de Reggio Emilia, Massimo Camisasca, de 75 anos.

Ele insiste que Ratzinger destacou sua luta contra os padres abusivos homossexuais: “Ninguém fez tanto quanto ele”.

“Por que então essa obstinação contra Ratzinger, sobre supostos fatos que aconteceram quase 40 anos atrás?” - ele pergunta, e responde: “A única razão é a intolerância [do que ele chama] dos setores liberais na Igreja e na sociedade”.

Segundo Camisasca, as pessoas por trás disso são aquelas que nunca aceitaram o pontificado de Bento XVI e se refletem nas derivas do Sínodo alemão. Camisasca insiste categoricamente que “não há trama de Francisco contra Bento”, e que Francisco – sem brincadeira – “tem uma profunda estima e afeição por seu antecessor”.

As chamadas comissões de abuso “independentes” escolhidas pelos bispos franceses e alemães “não são realmente independentes”, enfatiza Camisaca, mas seguem um “preconceito anticatólico”. Ele acrescenta que “nunca se deve medir as atitudes de décadas atrás com as que seriam exigidas hoje”.

Fotografia: Massimo Camisasca © wikicommons, CC BY-SA, #newsDluwmziujr