Clicks81
pt.news

Cardeal Brandmüller incentiva a não obedecer a Traditionis Custodes

As leis precisam de uma recepção afirmativa ou de um cumprimento de aprovação para obter validação e efeito duradouro, escreve o cardeal Walter Brandmüller, de 92 anos, em uma declaração de 28 de julho sobre Traditionis Custodes.

Assim, algumas leis são abolidas por não observância ou tornam-se obsoletas com o tempo: “A lei tem que servir ao bem da comunidade - e não o contrário”.

Como exemplo, Brandmüller menciona Veterum sapientia de João XXIII, de fevereiro de 1962, que decretava que a teologia universitária deveria ser ensinada em latim: "Veterum sapientia, uma vez impresso, logo foi esquecido".

Brandmüller se refere ao direito comum, segundo o qual objeções justificadas a uma lei universal da igreja têm efeito suspensivo: "Isso significa que a lei não deve ser obedecida enquanto a objeção não tiver sido dissipada".

Ele diz que "se houver dúvida se uma lei é vinculativa, ela não é obrigatória". Essa dúvida pode ter por base a formulação defeituosa de um texto jurídico.

Brandmüller enfatiza que seu argumento se aplica apenas às leis eclesiásticas, como Traditionis Custodes, não às leis natural ou divina.

#newsUigimedjui