Clicks281
pt.news

Francisco: São Pedro agora é um museu, uma igreja fantasma, um deserto

A repressão brutal das Santas Missas nos 45 altares laterais da Basílica de São Pedro entrou em vigor na segunda-feira. As orações silenciosas que subiam ao céu todas as manhãs se acabaram.

Edward Pentin encontrou, em vez disso, duas primeiras Eucaristias concelebradas com um e três concelebrantes, e a Missa principal às 8h30 com oito pessoas nos bancos. Foi em uma capela atrás de uma cortina.

Os padres que trabalham no Vaticano estão “irritados”, disse uma fonte a Pentin: “muito poucos deles estão aqui participando das missas concelebradas esta manhã em protesto contra as mudanças”.

Só que esses sacerdotes são conhecidos. É provável que Francisco os pressione a concelebrar ou a enfrentar as consequências.

Pentin confirma o fato evidente de que Francisco está por trás da decisão. Segundo Pentin, ele foi ajudado por “um de seus confidentes mais próximos”, o cardeal Beniamino Stella, prefeito da Congregação para o Clero, e outros cardeais próximos a ele.

Obviamente, os cardeais que ajudaram a matar a missa não compareceram para participar nas concelebrações forçadas. Eles pregam a pobreza, mas vivem em apartamentos pomposos com suas próprias capelas particulares.

Um anônimo “Monsenhor Ferrari” notou no Twitter.com que a atmosfera no Vaticano é tão repressiva que mesmo aqueles que celebraram missa na Basílica de São Pedro por décadas não ousaram protestar: “É como a China comunista aqui”.

#newsOjgrapmpcx