Clicks144
pt.news

Secretário geral da FSSPX: quando pressionado, sacerdote deve aceitar as "vacinas"

Uma "vacinação" contra a Covid às vezes pode ser "um ato eminentemente prudente no sentido moral do termo", acredita o padre Arnaud Sélégny, secretário geral da FSSPX (Fsspx.news, 24 de setembro).

Quando apenas capelães vacinados são admitidos em hospitais ou lares de idosos, os padres devem obedecer e preferir a salvação do próximo à sua própria "saúde ou tranquilidade", moraliza Sélégny.

Para ele, quem recusa a vacinação ocupa “posições absolutas e categóricas” e carece de “caridade”. Sélégny não consegue ver o problema das vacinas contaminadas pelo aborto, pois - segundo ele - uma "razão válida e proporcional aos possíveis perigos" torna "moral" ser vacinado.

Ele esquece que aqui os problemas começam. Covid-19 não é uma pandemia mortal ("razão válida"), mas tem uma taxa de mortalidade semelhante à da gripe. As vacinas não previnem infecções nem transmissões e são aplicadas por motivos políticos e não médicos. Não há evidências científicas de que as pessoas vacinadas terão "um curso mais brando da doença".

Fotografia: Arnaud Sélégny, FSSPX.news, #newsZsjpcgudzf