Clicks249
pt.news

Primeiro "sacerdote" indígena casado serve ao paganismo made in Italy

Reuters deseja que Shainkiam Yampik Wananch, de 48 anos, um índio Achuar casado e que possui 10 filhos, seja o primeiro "sacerdote casado" da Igreja de Francisco.

O artigo da Reuters apareceu em ReligionDigital.org (25 de setembro). Wananch é um diácono em um Vicariato de Yurimaguas - Peru, uma cidade turística com aeroporto.

Em Wijint, sua aldeia, ele celebra uma cerimônia dominical ao amanhecer, com "rituais de purificação com ervas nativas" e uma fogueira pagã feita com três troncos.

Para o "rito penitencial", os participantes seguram água na própria boca, e a jorram sobre suas mãos. Hóstias pré-consagradas são pegas por aqueles presentes.

Os índios são inocentes dessa performance, que foi inventada pelo italiano salesiano padre Luigi Bolla (+2013).

O vicariato de Yurimaguas é liderado pelo padre espanhol Jesús María Aristín, que foi recentemente importado da Itália. Ele se opõe ao celibato, e participará do Sínodo para a Amazônia.

Durante a viagem de Francisco ao Peru em 2018, Aristín o apresentou a cinco diáconos casados, dentre eles Wananch. Francisco os encorajou a atacarem o celibato: "Façam propostas audazes [=hereges] para o Sínodo".

As irmãs Lauritas, que gerenciam uma escola em Wijint apoiam abolir o celibato. Reuters cita a irmã Maruja Escalante, que também pensa que "é muito importante que uma mulher possa ser uma sacerdotiza e realizar todas as funções".

Fotografia: Luigi Bolla, © Salesianos.pe, #newsKuslvsjtmq